Congelamento de óvulos - Veja como funciona a técnica

Congelamento de óvulos

O congelamento de óvulos surgiu como uma alternativa para preservar a fertilidade das mulheres. De acordo com pesquisas realizadas pela BBC News Brasil, o número de mulheres que congelaram os seus óvulos triplicou nos últimos 5 anos. Ainda assim, muitas dúvidas sobre como funciona este procedimento e quais são as suas indicações são comuns entre a população.

 

Por isso, vamos tirar todas essas dúvidas.

 

 

Como funciona o congelamento de óvulos?

 

Para congelar os óvulos, é preciso, antes de mais nada, induzir a ovulação para que mais óvulos sejam preparados no mesmo ciclo menstrual. Com a ajuda de medicamentos de hormônio injetáveis, é possível incentivar os ovários a produzirem a maior quantidade possível de folículos no ciclo.

 

A ginecologista responsável vai acompanhar todo o processo de indução por meio de exames de sangue e ultrassonografia. Assim que os folículos atingirem o tamanho adequado, a coleta acontece em até 36 horas depois da última aplicação de hormônios.

 

Em seguida, acontece a coleta dos óvulos, em um procedimento indolor e que dura em torno de 15 minutos. Para isso, é utilizada a anestesia para maior conforto. Então, a especialista vai congelar os óvulos em um recipiente com nitrogênio líquido a -196°C.

 

Desde a primeira etapa até o congelamento, geralmente o procedimento completo acontece depois de 11 dias de tratamento medicamentoso.

 

 

Para quem o congelamento de óvulos é indicado?

 

A realização do procedimento é indicada nos seguintes casos:

 

Motivos pessoais

 

Mulheres que desejam adiar a gravidez podem optar pelo congelamento. Na maioria das vezes, isso acontece pela falta de um parceiro no momento e o desejo de manter a saúde dos óvulos para não correr o risco de ter a gestação prejudicada.

 

Mulheres com Endometriose

 

Sendo Endometriose uma doença com potencial de evolução e comprometimento da reserva de óvulos, em alguns casos há indicação de congelar os óvulos para preservar a capacidade de gravidez futura.

 

Pacientes de Fertilização in Vitro (FIV)

 

A fertilização in vitro consiste na fecundação em laboratório. Nesse caso, a mulher tem a opção do congelamento de óvulos quando a coleta de espermatozoides de seu parceiro não atinge uma boa quantidade para o tratamento. Como os óvulos gerados durante a indução seriam inutilizados, é possível mantê-los congelados para uma nova coleta de sêmen.

 

Óvulos excedentes da FIV

 

Da mesma forma, existe também a possibilidade de que a indução do ovário gere uma quantidade de óvulos saudáveis acima do necessário. Portanto, a quantidade excedente pode ser congelada para fertilizações in vitro futuras.

 

Baixa reserva ovariana

 

Em contrapartida, o congelamento também é uma possibilidade quando a mulher é diagnosticada com uma queda na quantidade de óvulos. Isso é identificado por meio de exames específicos ou pelo histórico de menopausa precoce.

 

Pacientes com baixa reserva ovariana em meio a uma FIV

 

A baixa reserva ovariana entra nos quadros de indicação para o congelamento de óvulos para que a mulher tenha uma forma de banco de óvulos. Nesse caso, a indução ovariana é realizada em mais de um ciclo menstrual para conseguir o maior número de óvulos saudáveis para a fertilização posterior.

 

Mulheres em tratamento oncológico

 

Por último, mulheres em tratamento oncológico também são fortes candidatas para o procedimento. Afinal, os tratamentos como a radioterapia e a quimioterapia afetam a fertilidade da paciente. Sendo assim, congelar os óvulos se torna uma alternativa para preservar a fertilidade após a recuperação.

 

Vale lembrar que as melhores candidatas para terem os óvulos congelados são as mulheres entre 20 e 30 anos de idade, já que elas estão no auge de sua fertilidade. Porém, mulheres de outras faixas etárias também podem congelar os óvulos de acordo com a indicação de uma ginecologista.

 

Não existe um limite de tempo para que os óvulos fiquem congelados. Quando o procedimento é realizado da maneira correta, a durabilidade é muito maior e é possível engravidar mesmo com óvulos congelados há mais de uma década. Por isso, é sempre importante conversar com a sua ginecologista para identificar as melhores opções para você.

 

 

Quanto custa o congelamento de óvulos?

 

O custo do tratamento pode variar entre cada paciente. Afinal, o custo total engloba os medicamentos, a preparação do laboratório, as consultas com a ginecologista e a coleta do material. Além disso, existem também os custos anuais para manutenção dos óvulos congelados, variando entre R$500 e R$1000.

 

O valor total do tratamento vai ser definido após a consulta inicial com a ginecologista.

 

A taxa de sucesso de gravidez com óvulos congelados gira em torno de 50%. Porém, o índice pode variar de acordo com a idade da mulher e suas condições de saúde. Sendo assim, o congelamento de óvulos se torna uma excelente alternativa para as mulheres que querem adiar a gravidez ou precisam do congelamento para manter a opção em aberto.

 

Então, que tal agendar sua consulta agora mesmo para saber mais sobre o procedimento? Entre em contato e vemos você em breve!

WhatsApp Reprodução Humana

Contato

Telefone Clique para chamar

(86) 99432-6015

Email

bonalyzianne@gmail.com

Entre em contato e tire suas dúvidas!

Tratamentos Relacionados

Tem Alguma

Dúvida?

No intuito de viabilizar economicamente o tratamento de Reprodução Assistida para alguns casais,nossa clínica oferece um programa de FIV a baixo custo.

Fale conosco, estamos online!Agendar Consulta

Fale com nosso atendimento!

Clique para chamar